Escolas Médicas mantêm-se com aulas não presenciais e avaliação à distância

O Conselho de Escolas Médicas Portuguesas (CEMP), reunido a 18 de maio de 2020, analisou, uma vez mais, a situação a nível nacional no que se refere à pandemia COVID-19 e ao impacto da mesma no funcionamento das Escolas Médicas em Portugal e entende tornar público o seguinte:

  1. É posição comum e consensual das Escolas Médicas Portuguesas manter o regime de aulas não presenciais até ao final do presente ano letivo, considerando os resultados alcançados até ao momento e a apreciação muito positiva por parte de toda a comunidade académica.
  2. Os planos de reativação das atividades de investigação e das atividades de apoio técnico e administrativo iniciaram-se e estão a ser implementados em cada Escola de forma progressiva e cautelosa, mediante uma monitorização do evoluir da situação.
  3. Todas as Escolas Médicas Portuguesas estão empenhadas em dar prioridade a metodologias de avaliação à distância, recorrendo a metodologias telemáticas, podendo, no entanto, e de acordo com a autonomia de cada Escola e com circunstâncias específicas, realizar avaliações presenciais, desde que asseguradas as normas de segurança necessárias.

O CEMP tem assumido uma posição de constante interesse e monitorização da situação a nível nacional e o mesmo continuará a fazer, em prol de um ensino e investigação médica de reconhecida qualidade, num ambiente que garanta, em primeiro lugar, a segurança da comunidade académica que representa.

Portugal, 18 de maio de 2020

Comentários recentes