Professor Fausto Pinto é o primeiro português na história da Presidência da World Heart Federation

in FMUL

O Professor Fausto J. Pinto será o 22.º presidente da World Heart Federation (WHF) que, pela primeira vez em mais de 40 anos de história, tem um português à frente da presidência.

Em entrevista à Just News, o Professor conta que foi incentivado a concorrer por um grupo de colegas, tendo o processo decorrido de acordo com os trâmites definidos nos estatutos da organização.

Fausto J. Pinto conseguiu 80% dos votos nas eleições e sucede à sul-africana Karen Sliwa. O seu mandato, que tem início no dia 1 de Janeiro, pretende dar continuidade à missão de “minorar o impacto das doenças cardiovasculares”, num cargo que já foi ocupado por cardiologistas de diversas partes do mundo.

Sobre a missão da instituição que vai presidir, o Professor esclareceu que a WHF “tem como objetivos principais a promoção de estilos de vida saudáveis a nível global e apoiar a investigação e o desenvolvimento de estratégias para minorar o impacto das doenças cardiovasculares, que continuam a ser a causa número um de mortalidade e morbilidade”.

Considera a Federação Mundial do Coração “uma espécie de Nações Unidas da área cardiovascular”, desenvolvendo o seu plano de ação “em estreita relação com a OMS e funcionando através dos seus próprios membros”, explicou na última edição do “Hospital Público”, publicado pela Just News.

Para além disso, a sensibilização das populações e respetivos decisores políticos é uma das premissas da atividade que a Federação tem desenvolvido ao longo dos anos.

Constituída em 1978, a WHF é uma organização não-governamental com sede em Genebra, tendo resultado da fusão da International Society of Cardiology (ISC) com a International Cardiology Federation (ICF).

Sociedade Portuguesa de Cardiologia pronunciou-se publicamente, congratulando o Professor Fausto J. Pinto pela Presidência da World Heart Federation. “É também a Cardiologia portuguesa que está de parabéns ao ver um dos seus mais distintos membros elevados a tão alta responsabilidade. Homem de causas e valores humanistas, certamente transportará para as novas funções esses princípios em que acredita e pelos quais se tem batido em muitos campos”, pode ler-se no comunicado.

O Professor agradece os votos de sucesso, expressando forte apreço pelo “apoio inexcedível da SPC, em todos os momentos”, reforçando o compromisso em desenvolver um trabalho “conjunto, em prol da comunidade que servimos, no sentido de cumprirmos os nossos objectivos comuns (WHF/SPC) de promover “Saúde Cardiovascular para Todos”, quer na Saúde como na doença, a fim de termos uma população mais saudável”.

Na mesma entrevista, o Professor comentou ainda a planificação do corrente ano letivo, realçando que, “Temos um sistema híbrido, em que a parte teórica é dada remotamente, mas a componente prática é assegurada presencialmente. E tem que continuar a ser assim”.

Em defesa da continuidade e de um empenho cada vez maior na qualidade da formação médica, Fausto J. Pinto reiterou que, “Não podemos descurar a formação dos futuros médicos. Esta é, aliás, uma oportunidade única do ponto de vista formativo, porque os alunos estão a ser treinados num ambiente em que é importante que o sejam, até porque a situação que estamos a viver pode muito bem voltar a repetir-se”.

Os detalhes da entrevista, que recorda ainda a homenagem prestada pela Sociedade Brasileira de Cardiologia ao Professor Fausto J. Pinto, para ler aqui.