Cinco novos parceiros clínicos e de investigação reforçam a ADCAML

in FMUL

Instituto Gulbenkian de Ciência, Fundação Champalimaud, Hospital Fernando da Fonseca, Hospital Beatriz Ângelo e Hospital Garcia de Orta. Estas são as cinco instituições que no dia 8 de Abril passaram a fazer parte da Associação para o Desenvolvimento do Centro Académico de Medicina de Lisboa (ADCAML), que passa assim a ser um dos mais fortes consórcios clínicos e de investigação em Portugal.

Os novos membros, oficialmente admitidos em assembleia geral da ADCAML realizada no Hospital de Santa Maria, juntam-se aos três fundadores do Centro Académico – Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e Instituto de Medicina Molecular – e aos outros cinco parceiros que já integravam a Associação que gere a atividade do Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML): Instituto Superior Técnico, Instituto Português de Oncologia, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa e Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa. 

A ADCAML é uma associação privada sem fins lucrativos criada em 2015 para dinamizar e operacionalizar os projetos conjuntos das instituições que fazem parte do CAML. A associação é atualmente presidida pela Prof.ª Helena Cortez-Pinto, que no final da assembleia-geral de dia 8, de forma simbólica, declarou ser “uma honra receber os novos parceiros”, perspectivando uma colaboração de sucesso entre instituições de referência da cidade de Lisboa e do país.

Ideia reforçada pelo Dr. Daniel Ferro, presidente do Conselho de Administração do CHULN, que atualmente dirige o CAML, ao afirmar que “o Centro Académico de Medicina de Lisboa aumentou extraordinariamente a sua capacidade de investigação e de aplicação dos projetos na prática hospitalar”. 

Já para o Prof. Fausto Pinto, diretor da FMUL e que dirigiu o CAML até ao final de 2019, esta é uma “excelente oportunidade para testar um novo modelo, usando uma ferramenta reativada, a ADCAML”.